Colunista

CONCRETO: O CORAÇÃO DA CONSTRUÇÃO CIVIL

"Se no alinhamento das colunas está o conforto e a segurança, nas mãos de um bom engenheiro está a execução de um sonho, porque é certo o que dizem: 'Nenhuma engenharia constrói caráter, mas com caráter se fazem os melhores engenheiros."

Olá, caros leitores! Estou super feliz em escrever mais essa coluna para a revista e ao mesmo tempo partilhar o sonho de agregar mais conhecimento e valor para você. Antes dos estudos, eu também não possuía a noção da tamanha importância do concreto na construção, sendo realmente seu coração, seu carro chefe.


O cimento por si só já endurece se não for mantido em local fechado e vedado, o vento pode deixá-lo “empedrado” e o contato com a água já ocasiona uma reação de hidratação. O concreto nada mais é que a mistura de cimento, areia, pedra ou brita e água. Em alguns casos, pode ter acréscimo de aditivos para acelerar ou retardar a sua cura (secagem) e impermeabilizantes.

Há anos que o concreto vem sendo o principal componente estrutural, juntamente ao aço, que formam o famoso concreto armado. O concreto é muito resistente à compressão e o aço à tração, fazendo, assim, a combinação perfeita para lajes, pisos, colunas, vigas, entre outros elementos estruturais. Atualmente, ele vem sendo incorporado como objeto de decoração e tendência, sendo visível em faixas, paredes, pisos de cimento queimado ou polido e, principalmente, os pré-moldados, muito conhecidos por construirem arranha-céus em apenas meses. O concreto pode ser produzido em outras formas, como concreto leve, pesado, alto adensável, entre outros que poderão ser discutidos em outra oportunidade.

Por ser um material plástico, - sendo moldado da forma e tamanho que quiser antes do endurecimento, enriqueceu e modernizou o jeito de se construir, que era feito com pedras e barro pelos antigos. Um fator muito importante é que o profissional faça o dimensionamento das estruturas para que todo o resto da construção possa ser retirado, e o esqueleto – estruturas de concreto – permaneçam em pé. Infelizmente, muitas pessoas acabam querendo economizar nas estruturas para gastar em acabamentos, podendo trazer problemas futuros para a construção, problemas esses que para serem resolvidos, podem te causar custos excessivos, chegando em alguns casos a mais de 100% (do valor das estruturas), gastando, assim, três vezes (fazer, desfazer e refazer).

Um fator muito importante e recorrente que escutamos em obras é “mas tem o tijolo”, sendo que os tijolos cerâmicos são elementos de vedação, limitando a sensação de espaço, térmica, acústica etc.

O maior conselho é que você esteja ao lado de um profissional, aliás, um bom profissional, e que siga as instruções feitas por ele e pelo fabricante, não dando ouvidos para opiniões de quem não possui conhecimento ou entendimento sobre o assunto. Um grande abraço, do engenheiro que deposita o seu olhar na pedra e no cimento, mas que carrega no coração a massa da humildade e da fé em Deus.

Leoncio Drigo
Jovem dedicado e apaixonado pela construção civil, ele apresenta assuntos e temas relevantes sobre obras, legislações, planejamento e possibilidades p

WHEY PROTEIN: SEU AUXÍLIO NA PERDA DE PESO

Anterior

SOBRANCELHAS: VOCÊ SABE O PODER DELAS?

Próximo

Notícias relacionadas