halitose

O problema da halitose é algo comum e que prejudica pelo menos 40% da população mundial, sendo considerado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) uma complicação de saúde bucal.

O que é halitose?

A halitose é popularmente conhecida como mau hálito e é considerada uma situação desagradável que pode ser notada logo ao despertar. 

Em alguns casos, pode permanecer ao longo do dia, quando não há escovação dos dentes com frequência ou por muitas horas em jejum.

Geralmente, o mau hálito é associado à falta ou má higienização, mas o que muitos não sabem é que pode ser um sinal de doença. 

Sendo assim, se a halitose for persistente, é necessário procurar o médico para entender e identificar a possível causa e a partir disso iniciar o tratamento.

Ter, por exemplo, um convênio odontológico é um jeito de ir regularmente ao dentista e conseguir cuidar corretamente do problema de halitose.

Causas da halitose

O mau hálito pode ser uma consequência do dia a dia ou por doenças crônicas. As principais causas desse problema são:

Higienização inadequada

Uma limpeza incorreta da boca contribui para a formação de tártaro, placa bacteriana, cáries, além da saburra lingual que promove a halitose.

Redução da produção de saliva

Isso acontece, principalmente à noite, resultando em uma grande fermentação das bactérias presentes na boca, algo que ajuda na liberação de enxofre que gera o mau hálito.

Muitas horas em jejum 

Ficar por muitas horas sem comer contribui na fermentação das bactérias que ficam naturalmente na boca, além da grande degradação dos corpos cetônicos, uma maneira de gerar energia e consequentemente causa o mau hálito.

Alterações estomacais

É algo comum, principalmente em pessoas com problemas de eructação, popularmente conhecido como arrotos ou refluxo.

Infecções de garganta ou na boca

Isso acontece porque os microrganismos responsáveis pelas infecções podem fermentar e causar a halitose.

Diabetes descontrolada

Pessoas com essa condição podem ter a cetoacidose, onde muitos corpos cênicos são produzidos, resultando no mau hálito.

O diagnóstico de halitose pode ser feito por um dentista. Sendo assim, ter um plano odontológico é uma maneira de conseguir ir regularmente ao consultório e identificar rapidamente o problema.

O profissional avalia a saúde bucal geral, em que é verificado se há a presença de cáries, produção de saliva e tártaro. 

Nos casos de halitose mais persistentes, o dentista pode indicar que o paciente realize exames de sangue para investigar se há alguma doença que pode estar relacionada ao mau hálito.

Tratamento para halitose

O tratamento para halitose é recomendado pelo dentista conforme o caso. Basicamente, é indicado a escovação dos dentes e a língua pelo menos 3 vezes ao dia, sempre após as refeições. 

O uso do fio dental é outro ponto importante para a remoção de resíduos de alimentos. Sendo assim, a utilização é algo que deve ser frequente para remover as bactérias e junto dele, pode ser utilizado um enxaguante bucal, conforme a indicação do dentista.

Para o mau hálito relacionado ao acúmulo de saburra, ou seja, sujeira na língua, é indicado usar um limpador ou raspador específico.

Outra dica que pode ajudar no tratamento é dar preferência para uma alimentação mais saudável e mastigar bem os alimentos durante as refeições. Beber bastante água é importante e ajuda na halitose.

Isto posto, ter um convênio dentista é importante para conseguir ir regularmente às consultas e tratar adequadamente o problema de mau hálito.

Quando o problema de halitose está relacionado com doenças crônicas, além de ir ao dentista, é necessário um acompanhamento médico, porque juntos, os profissionais podem orientar o paciente para um tratamento ideal para o caso.

Fatores risco para o mau hálito

Antes de mais nada, vale ressaltar que existem alguns fatores considerados de risco, ou seja, que pode agravar o caso são:

  • Tabagismo;
  • Consumo excessivo de álcool;
  • Estresse;
  • Desidratação;
  • Respiração pela boca;
  • Saliva viscosa;
  • Higiene bucal incorreta;
  • Uso de alguns medicamentos;
  • Diabetes.

Estes são alguns fatores que podem aumentar o risco de halitose, por isso é importante um acompanhamento com profissionais e ir ao dentista é algo que pode ser acessível graças a um bom plano de saúde odontológico.

A importância de um plano odontológico e como ele pode ajudar no problema de halitose

Um plano odontológico é um benefício pouco conhecido pelas pessoas, mas que nos últimos anos tem sido uma estratégia que diversas empresas têm utilizado para atrair e reter talentos, de diversas formas, seja profissionalmente ou até mesmo pessoalmente falando. 

Além disso, é possível que todas as pessoas que fazem parte desse plano odontológico ter um tratamento correto e adequado para todos os indivíduos. 

Um plano odontológico empresarial, por exemplo, é um benefício que pode ser oferecido para os colaboradores por parte das empresas. 

Assim, ele e os seus dependentes podem cuidar da saúde bucal e resolver o problema de halitose e outras questões que comprometem a boca.

Deste modo, com um plano odontológico é possível tratar a halitose, cuidar dos dentes e ter uma boa saúde bucal, um belo sorriso e mais bem-estar.

Para mais conteúdos relacionados à Marketing Digital, Cultura, Negócios, Saúde, acesse nosso portal.